Livros de GURPS que até poderiam existir (ou NUNCA, talvez!)…

banner covil2

Depois de ler algumas ideias aleatórias e toscas em certos fóruns sobre nosso amado sistema de jogo (neste link), tive um vislumbre fnordesco para produzir o seguinte artigo.

Nesta postagem, vamos fazer suposições burlescas (sem limites) sobre possíveis suplementos de GURPS que poderiam (ou não) ter sido escritos e publicados. Como minha intenção é meramente despretensiosa e humorística, pegue uma caneca de café e relaxe. Ah, e, se quiser, inclua nos comentários o suplemento GURPS que você imaginou!

GURPS 1984 (O Grande Irmão adoraria ver as Falhas Críticas…)
GURPS Ataque dos Titãs (nem ouso pensar nos cálculos de dano…)
GURPS A Pedra dos Sonhos (juro que pensei em escrever este… alguém lembra deste desenho da TV Cultura?)
GURPS Banco Imobiliário (só imponha um limite para a vantagem Riqueza)
GURPS Barbie (?)
GURPS Battletoads (admita: você já imaginou!)
GURPS Bonelli (Zagor, Tex, Martin Mystère, Nick Raider, Nathan Never, Mágico Vento, Dampyr…)
GURPS Brasil (da era colonial aos dias atuais: escolha sua aventura)
GURPS Diablo
(meio óbvio, né?)
GURPS Disney (insira Ducktales, Darkwing Duck, TaleSpin, Ursinhos Gummi…)
GURPS Moebius (só a Garagem Hermética já vale a conversa)
GURPS Escola (seja um professor, aluno ou parte da equipe de apoio pedagógico…)
GURPS Eu (autobiográfico e egocêntrico)
GURPS Facebook (cuidado com o textão que compartilha, pois vai provocar muitos modificadores de Reação… também chamado de “GURPS Redes Sociais”)
GURPS Forrónejo Pop Star (viva as intrigas, polêmicas e as canções da mais nova temporada de shows)
GURPS Futebol Brasileiro (pimba na gorduchinha!)
GURPS GURPS (para quem gosta de meta-meta-metagaming…)
GURPS Hanna-Barbera (Space Ghost, Cavaleiros da Arábia, Herculoides…)
GURPS Hakuna Matata (Porque os seus problemas você deve esquecer)
GURPS Kafka (todos os jogadores acordam transformados em insetos-gigantes, com todas as vantagens e desvantagens inerentes, na década de 1920)
GURPS KoboldPunk (os jogadores serão falidos, sujos e fracotes Kobolds portadores de artefatos poderosos… mágicos ou tecnológicos)
GURPS Lego (imagine as possibilidades!)
GURPS Monstros RPG (daquele antigo RPG nacional da editora Nova Vecchi. Crie um monstro sem nexo com muitos pontos e divirta-se espancando, trucidando, destruindo…)
GURPS Multiverso Reality Show (selecione um punhado de personagens oriundos de diferentes suplementos GURPS e deixe-os confinados numa casa isolada, disputando em gincanas mortíferas pelos troféus de sobreviver e voltar para seus lares!)
GURPS Mundo Animal (escolha um animal para interpretar e tente sobreviver)
GURPS Paranoia (construa personagens com 50 pontos, talvez inclua alguma mutação bizarra ou poder estranho, assuma o Computador como Patrono e responda: “Você é feliz, Cidadão?” Use a super-vantagem Vidas Extras para simular a clonagem!)
GURPS Política Brasileira (escolha seu lado, abuse das redes sociais e vicie em discussões intermináveis… ou seja um político e provoque tudo isso)
GURPS UFC Robots (os lutadores são robôs e se agridem até o primeiro tilt)
GURPS Ursinhos Descarinhosos (no qual os fofuchos usam seus poderes abdominais para promover muitos aborrecimentos, conflitos, confusões, enfim… arruaça de pelúcia)
GURPS Spiral Zone (este desenho de 1987 daria boas aventuras militares naquele cenário apocalíptico)
GURPS Super Máquina, Manimal, Automan, Moto Laser ou qualquer outra série dos anos 1980.
GURPS Stand Up Comedy (mantenha a plateia rindo e suas piadas contextualizadas)
GURPS Sonic, o Porco-Espinho (antes da sessão de jogo começar, alguém precisa declamar “SEEGAAA”)
GURPS Super Mario (basta escolher se é o 1, 2, 3, World, Sunshine, Odissey… ou tudo junto!)
GURPS Telemarketing (gerundismo “vai estar sendo” liberado!)
GURPS Toupeiras ou Vida Subterrânea (nunca mais você usará tanto as regras para cavar buracos!)
GURPS Vida (uma velha brincadeira de minha época do Ensino Médio: interprete uma pessoa normal, desde seus primeiros passos ao dia da morte)
GURPS X-COM: UFO Defense (sei que já fizeram isso… oportunidade de usar o Sistema Avançado de Combate)
GURPS Youtuber (lute para manter seus inscritos e visualizações subindo mais e mais!)

E, quem sabe, isto continue em breve…

19 Respostas para “Livros de GURPS que até poderiam existir (ou NUNCA, talvez!)…

  1. “GURPS Vida” me lembrou The Sims e o “GURPS Brasil”, bom, tem “O Desafio dos Bandeirantes” cujo sistema tem algumas coisa parecidas com GURPS.

    Eu queria “GURPS The Elder Scrolls” (ou “GURPS Skyrim” pro pessoal que só conheceu a série depois de 2011). Seria legal fazer o meu breton nightblade usando as regras. “GURPS Bioshock”, onde eu posso simular novas histórias em Rapture.

  2. Gurps Bonelli me cativou. O cenário de Nathan Never é perfeito pra uma campanha e quando digo campanha quero dizer campanha LONGA, o tipo de coisa que nerds dos anos 90 com internet lenta e custosa (ou internet nenhuma) adoravam. E que só precisa do Módulo Básico e do Cyberpunk pra fazer. Além do material de referência – que, por si só, é a fonte pra trocentas outras referências. Pro Gurps Escola o único suplemento necessário é o Gurps Horror.

    • LUIZ! HÁ QUANTO TEMPO!
      Tua visita sempre me dá mais fôlego para continuar alimentando o Covil.
      Confesso que, quando leio qualquer título do Bonelli, chego a lamentar não ter lido na década de 1990, pois as HQs são repletas de sugestões (e até de aventuras prontas, basta só criar as estatísticas).
      Tua sugestão sobre o GURPS Escola me fez rir. E me deixou bem preocupado (já que sou professor efetivo da rede estadual)…
      Compadre, você chegou a me enviar e-mail com material, recentemente?

      • Você também é professor? Então dá pra entender a mistura de horror e humor que a sugestão de tema causa… assim como dizer que algumas obras citadas – 1984 e Paranoia – andam saindo do gênero distopia pro documentário.

        Olha, faz um tempo – um bom tempo – creio eu que te mandei uma adaptação de/cenário inspirado por Nightbreed, de Cliver Barker. Chegou a receber?

        Abraço e sempre sucesso por aí.

      • Sim, sou professor efetivo da rede estadual de São Paulo. Leciono Língua Portuguesa. Mas não é minha culpa – foi tudo força do Destino.
        Tento usar algumas de minhas influências literárias clássicas no Covil GURPS, embora que muita coisa de minha área não sirva como ferramenta de jogo muito divertida (imaginemos aí um GURPS O Guarani, GURPS Brás Cubas, GURPS O Cortiço etc.).
        Sobre a adaptação que você escreveu a partir da obra de Clive Barker (do qual sou igualmente fã), eu teria me lembrado e escreveria uma postagem especial só para anunciar aqui. Confesso que fiz uma busca no email (alforjeblog@gmail.com) que se repetiu algumas vezes. Procurei até na caixa de SPAM, mas não encontrei nada. Será que houve algum erro de digitação no destinatário?
        Vou dar mais uma olhada no Gmail. Se eu apaguei por engano o email que você me enviou, peço mil perdões!
        Ah, só pra constar: no meio das férias de Julho, furtei-me ao ato nostálgico de folhear minhas velhas edições da Dragão Brasil. E qual não foi minha emoção ao redescobrir aquele artigo de tua autoria, “As Armaduras Místicas de Zarep Don”? Ê saudade daquela época!
        Abraço e até breve, Luiz!

      • Oi, Luiz! Ainda não publiquei o cenário porque estou mexendo no arquivo de texto, tentando colocar algumas imagens da versão em quadrinhos da criação do Clive Barker. Ficou meio tosco, mas estou dando uma arrumada.
        Pode enviar as armaduras. Elas terão espaço na seção de Objetos Encantados. Porém, para destacar mais, postarei um artigo de entrada anunciando os links para as novidades aqui do blog, assim chama mais atenção.

      • Rodrigo, a minha demora é indesculpável. Mas o texto das armaduras ficou pronto. E será enviado para o e-mail adequado hoje mesmo. 🙂

      • Às vezes parece que os fãs de Gurps tendem a ter certos gostos em comum… algo relacionado com Zeitgeist. Lembrei agora da versão do Gurps Horror lançada aqui no Brasil em que Hellraiser é citado como inspiração e a obra de Barker considerada como cheia de potencial pra RPG.

  3. Sim, eu lembro daquele tempo e também tenho saudades. E olha que minha vida estava aos cacos naquela época. As saudades, no fundo, não são do passado -ele frequentemente era tão ruim quanto o presente, ou pior – mas sim das perspectivas. A ideia de que um dia, em algum momento, de preferência logo, algo realmente bom nos esperava… no lugar disso, aconteceu a vida.

  4. Desculpe a demora para responder. Eu vou procurar aqui e em breve te envio o Raça das Trevas – mas aviso para os fãs fundamentalistas de Clive Barker que é uma adaptação BEM livre… 😉

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s