Bio-planetoide

bioplanetoidBio-planetoides são a etapa evolucionária imediatamente anterior à de um mundo senciente. Eles apresentam uma notável escala variável de tamanho e IQ (embora que não pareça haver correlação entre tamanho e inteligência).

Bio-planetoides vivem cerca de 10.000 anos. Eles se reproduzem apenas uma vez na vida, gerando de 7 a 12 proles. Os jovens possuem extrema mobilidade, capazes de acelerar seus corpos telecineticamente a uma velocidade bem próxima à da luz. Ao nascer, um jovem bio-planetoide é esférico, medindo de 60 a 90 metros de circunferência. Depois do nascimento, eles partem para outro sistema solar, que contenha bio-planetoides (aparentemente, eles possuem algum meio instintivo para saber), entrando em animação suspensa assim que atingem a velocidade máxima. Assim que chegam ao destino, acasalam.

Bio-planetoides são ambissexuais, e quaisquer dois deles podem reproduzir. Eles acasalam apenas uma vez durante a juventude. Várias vezes, eles encontram outros proto-planetoides aguardando seu nascimento se completar, para que acasalem antes de iniciar a jornada. Assim que são fecundados, eles assumem uma vida orbital. Durante um século, eles crescem rapidamente, perdendo sua capacidade de movimento independente e assumindo uma forma toroidal (similar a um “donut”). Em alguns casos, um bio-planetoide (ou muitos) ocuparão uma órbita vazia em um sistema solar, mas eles são mais encontrados orbitando gigantes gasosos.

Suas proles nascem após uma gestação de aproximadamente 3.000 anos, tempo no qual o planetoide para de crescer. No instante da morte, o bio-planetoide se fragmenta, desintegrando-se aos poucos em um período que se estende por 100.000 anos.

Eles não parecem precisar de nenhum sustento além de radiação estelar e outras energias ambientes.

A maioria dos bio-planetoides é completamente indiferente à pequenas criaturas em sua superfície, embora que alguns dos mais inteligentes tenham certa curiosidade, particularmente quando encontram um telepata poderoso. Comunicação psíquica com bio-planetoides é possível, portanto, apesar de que suas mentes trabalhem numa velocidade absurdamente lenta.

Fonte: GURPS Space Bestiary, pág. 85. Steve Jackson Games, 1990.