Adeus a Douglas Quinta Reis

Douglas Quinta Reis

Há tempos que este blog não é atualizado, e meu pesar é ainda maior em publicar aqui um artigo pela ocasião do falecimento de Douglas Quinta Reis, o fundador da honorável editora Devir.

A importância de Douglas é histórica para o RPG no Brasil, para dizer o mínimo.  Já foi dito, em muitas conversas e redes sociais, que foi graças ao trabalho dele que estamos jogando RPG em terras tupiniquins. E isso não é exagero.

Como fundador da livraria Devir, Douglas importava HQs, editava o saudoso Recado Devir e ousou traduzir, editar e publicar aqui o GURPS. E assim abriu o mercado de maneira ampla para outros sistemas, divulgou o lazer intelectual para nós e plantou as sementes para tantos autores nacionais independentes, que tentam (e conseguem) reunir recursos para publicação própria e assim arregimentar fãs. Ele nos deu de presente nosso hobby mais querido.

Em 1993, quando conheci o GURPS, enquanto folheava o Módulo Básico, já reparava no nome do responsável pela edição brasileira de meu sistema preferido de RPG. E agradecia mentalmente, pelo trabalho, esforço e carinho na tarefa (que ao menos eu considero) hercúlea em publicar de modo pioneiro um RPG no Brasil. Continuo agradecendo, ainda hoje. O Covil GURPS está de luto.

Obrigado por tudo, Douglas. Descanse em paz!

Fonte: http://cultura.estadao.com.br/noticias/literatura,morre-douglas-quinta-reis-fundador-da-editora-devir,70002042822

Anúncios

GURPS Ganchos

Após dar uma xeretada no Twitter oficial da Steve Jackson Games (@SJGames),  encontrei alguns ganchos para aventuras que valem a leitura, no mínimo. A tradução é livre:

Glossário:
PC: Player Character (ou “Personagem-jogador”)
GM: Game Master (ou “Mestre de Jogo”)

– Os heróis são levados diante de Osíris, que está prestes a julgá-los. Seu único questionamento: “Como vocês definem um sanduíche?”

– Assim que os PCs enfrentam os capangas do vilão, começa a tocar You Should Be Dancing, dos Bee Gees (1976). Utilize um trio de inimigos cabeludos.

– Algo poderia ser pior do que lidar com toda uma raça alienígena que fala exclusivamente por meio de perguntas retóricas?

– O mago sairá de férias por um mês, e precisa de heróis que possam cuidar de seu dragãozinho de estimação (do tamanho de um cachorro). O que poderia dar errado?

– Os anjos desceram à Terra para punir até os menores pecados. Os perfeitos são inimigos dos bons!

– Placas em uma intersecção na estrada dizem “PLOT A” e “PLOT B”. Assim que os PCs decidirem qual caminho seguir, o GM diz: “Enquanto isso, de volta à taverna…” Continuar lendo

Nova raça para GURPS: Ifrits

Ifrit1Acabo de traduzir, livremente, um artigo escrito por Chris McCubbin, o qual deveria ter sido publicado no livro GURPS Fantasy Folk. Como não houve espaço, esta raça foi deixada de fora do suplemento, e, tempos depois, foi publicada de modo aberto no site da revista Roleplayer. Isso em meados de 1990.

Os Ifrits são uma raça com uma aparência supostamente diabólica: pequenos chifres no alto da testa, pequenas asas de couro e personalidades agressivas. O custo é um pouco alto, em comparação a outras raças de fantasia medieval, mas em uma campanha de 150 pontos os Ifrits encaixam-se perfeitamente.

Quer saber mais? Confira: covilgurps.wordpress.com/racas/ifrits/

Bioandroides

Esta semana, tomei liberdade traduzir (livremente) um antigo artigo da revista Roleplayer, que oferece a chance de criar PCs androides.

Escrito por David Pulver (o autor de GURPS Ultratech), o “Bioandroide” é uma opção para quem quer um personagem criado em laboratório, programado para um determinado fim e com um prazo de vida curto. O “template” foi designado imaginando-se um cenário Cyberpunk, mas pode ser facilmente colocado sem adaptação alguma em Space Opera, Horror ou até mesmo Fantasia.

O artigo você encontra aqui: covilgurps.wordpress.com/racas/bioandroide/

Conheça o fórum para jogar GURPS Phantasy Star

Saudações a todos!
ps2pic_topComo já deixei avisado na página do Alforje e aqui, ando preparando uma aventura utilizando o cenário de GURPS Phantasy Star. Para quem estiver interessado em jogar, tenho uma boa novidade: já existe o fórum oficial da atividade. Confira:

http://phantasystar.forumeiros.com/

Caso você conheça a terceira edição do GURPS, e seja fã dos jogos Phantasy Star, acesse o fórum, faça seu cadastro e aguarde pelo contato. A aventura é para apenas 3 jogadores no momento (pois não mestro nada há muitos anos), mas caso haja muito interesse, a história vai evoluir e ganhar mais participantes.

Ah, e caso queira contribuir, ou queira mestrar ou narrar aventuras de outros sistemas, nosso fórum também está aberto.

Interessado(a)? Se você se encaixa nos requisitos (ser fã de Phantasy Star e jogador da 3ª edição de GURPS) e quiser mais detalhes, não deixe de ler a adaptação aqui: Gurps Phantasy Star

A ficha de personagem exclusiva para o jogo é esta: GURPS PS FICHA

Aventura PbF GURPS Phantasy Star

pstarart02

Olhe bem a imagem. Repare em todos os detalhes. Notou algo diferente? Mal-colocado, improvisado? É isso mesmo.

Uma simbologia gráfica para a mais nova e irreverente notícia do Covil GURPS (e do Alforje, também): irei “mestrar” uma aventura para GURPS Phantasy Star!

Como meu tempo é escasso e a rotina é bem corrida, e como também não pratico a arte de mestrar há muitos anos, usarei um recurso novo para a atividade: a aventura será toda conduzida via Play By Forum (PbF). Durante algumas semanas, um grupo seleto (e sortudo) de 3 jogadores terá a oportunidade de vivenciar o heroísmo do universo Phantasy Star, em um cenário localizado na mesma época em que Alis e seus amigos viveram. Continuar lendo

GURPS Demon’s Crest

Finalmente decidi desengavetar outra adaptação de jogo eletrônico para RPG. Esta, é das antigas.

Cerca de 10 anos atrás, existia um site chamado “Multiply.com”, que oferecia, gratuitamente, a possibilidade de criar blogs e publicar muito conteúdo (se bem me lembro, não havia limite para armazenamento de arquivos). Tentando aproveitar a oportunidade, na época, eu criei meu primeiro blog de GURPS, o “gurpsrpg.multiply.com”. A maioria do conteúdo que você pode ler aqui no Covil foi trazido de lá, depois que o Multiply anunciou o término de suas atividades. Continuar lendo